top of page

Dominar a Produtividade Sem Estresse: é possível? O método GTD

Atualizado: 9 de fev.

Você pode não lembrar a vez mais recente que usou a palavra estresse na semana, mas, certamente, a ouviu de alguém.


A vida moderna dá a sensação de um bombardeio constante de demandas, distrações e prazos apertados que, por sua vez, podem gerar outra sensação: a de uma eterna corrida para acompanhar a velocidade de tudo, sem grandes êxitos.


A boa notícia é que dá pra melhorar e o best-seller de David Allen, 'Getting Things Done' (A Arte de Fazer Acontecer), nos prova isso.


mulher com roupa de trabalho, dormindo abraçada ao relógio porque está exausta

Você já se sentiu sobrecarregado com uma lista interminável de tarefas e compromissos, lutando para manter-se produtivo em meio ao caos do dia a dia?


Agora, imagine um outro cenário: um mundo onde o estresse relacionado ao trabalho é substituído por uma sensação de calma e controle. Um mundo onde você pode enfrentar suas responsabilidades diárias com confiança e eficiência, sem se sentir sobrecarregado.


Sonho? Nadinha.


Este é o mundo apresentado por David Allen em seu livro revolucionário "Getting Things Done: The Art of Stress-Free Productivity".


Ao longo das páginas deste best-seller, Allen oferece um sistema abrangente para gerenciamento de tarefas e produtividade que vai além das simples listas de afazeres. Ele nos guia através de um método comprovado para capturar, clarificar, organizar, refletir e, finalmente, engajar-se de maneira eficaz com nossas responsabilidades diárias: o GTD.




O autor do livro A Arte de Fazer Acontecer, David Allen, é um dos maiores especialistas sobre produtividade do mundo e ele afirma que qualquer pessoa pode se tornar mais produtiva.


O livro original Getting things done veio para o português como 'A arte de fazer acontecer', passou por uma revisão (primeira edição é de 2015) e nos apresenta o método GTD, dividido em 5 etapas:


Coletar

O autor considera que a etapa 1 no processo de melhoria da produtividade é a coleta de informações, a fase em que reunimos todas as coisas que roubam nosso foco. Aqui, o que importa é direcionar essas informações para outra parte do cérebro. Ele orienta que mantenhamos todas as tarefas em um 'sistema de coleta' porque, dessa forma, elas saem da nossa cabeça e ficam fixas no papel. No nosso planner você tem, mês a mês, espaço para isso nas páginas.


Processar

A segunda etapa do método GTD é a de processar as informações que colocamos na lista. É agora o momento de decidirmos o que fazer com cada uma das informações contidas na lista. Para cada item da lista, pergunte-se: “Devo tomar alguma ação em relação a isso?” Só existem duas respostas para essa pergunta: “sim” ou “não”.


Se a resposta for “não”, escolha 1 dentre essas 3 medidas:


Descartar: não fazer nada e riscar a informação da lista.

Colocar em espera: pode ser que o momento não seja o agora-agora, então, no futuro você realizará aquilo.

Arquivar como referência: área para documentos ou informações que são importantes e que podemos precisar, depois.


Agora, vamos às opções caso a resposta tenha sido 'sim'.


Se a resposta for “sim”, vale uma análise profunda. Precisamos decidir se a ação pode ser realizada imediatamente e em uma tarefa única. Tudo que puder ser realizado em uma única ação/ tarefa e, em menos de 2 minutos, deve ser realizado imediatamente.


Organizar

A terceira etapa do método dedica-se ao período para organizar as informações coletadas. Tenha um calendário à mão, leve sempre um bloco ou caderno de notas com você (dá uma olhada nos nossos que são perfeitos para isso) porque fazendo listas, as deciões tornam-se muito mais fáceis.


Com relação às listas de ações:


A primeira delas é a lista de Projetos, ou seja; toda vez que você se deparar com uma atividade que exija diversas etapas para ser concluída, adicione-a à lista.


A segunda lista de ações diz é a de delegar tarefas, ou seja; tudo que não compete a você ou não representa o melhor uso do seu tempo, delegue e agende uma data para checar o progresso da atividade com a outra pessoa que ficou responsável pela atividade.


David Allen ressalta que todas as atividades com data e hora marcada devem estar anotadas em um calendário e que devemos deixar no mínimo 1 hora livre no dia para possíveis imprevistos, como se fosse uma janela de tempo.


Revisar

A revisão é o quarto passo do método. De acordo com Allen, existem basicamente 3 revisões importantíssimas que devem se tornar hábitos na sua vida:


Revisão diária – Pela manhã (e, diariamente), verifique seus compromissos diários e faça ajustes, quando necessário.


A revisão das próximas ações – Revise suas ações de acordo com cada contexto do dia.


Revisão semanal – Todas as coisas que precisam ser feitas para deixar sua mente limpa. Isso facilita preparar e planejar as semanas seguintes.


Executar

A etapa de execução só acontece que não pularmos as anteriores... Com tudo organizado, é hora da ação, tornando nosso planejamento prático. Plano sem ação não vale!


Os princípios fundamentais apresentados no livro "Getting Things Done: The Art of Stress-Free Productivity" têm sido amplamente adotados por pessoas em diferentes áreas para melhorar sua produtividade e reduzir o estresse relacionado ao trabalho. O livro tem 320 páginas, é fluido e, se você colocar em prática, sente mudanças imediatamente.


Para te ajudar com o planejamento e tudo que envolve a prática da sua produtividade, confira aqui no site qual o melhor caminho para você: agendas, planner ou caderno.


Curtiu a dica de leitura?

13 visualizações2 comentários

2 則留言


Não conhecia o método, achei muito interessante pq meu problema e na verdade, minha dúvida pra investir no planner, sempre foi não saber bem como aproveitar tudo que ele tem. Adorei, Gente. Vlw

按讚
回覆

Que maravilha! Fique de olho nas nossas dicas por aqui e pelas redes (IG, Tik Tok e Youtube) que estamos sempre atualizando vocês. 😉

按讚
bottom of page